Brexit: O quê, Como e Que ajudas tenho? - Alejandra's Life

Brexit: O quê, Como e Que ajudas tenho?

April 17, 2019

O Brexit já é um assunto tão falado que nem a mim me apetece escrever sobre ele, MAS é necessário saber algo mais, especialmente se é Português. Notei que nas notícias portuguesas, o nível de alarme esta num ponto alto, quase como se Portugal estivesse a ter Brexit por si só, e derivado ao histerismo coletivo que determinadas pessoas estão a espalhar, vamos la meter o pé no chão e pensar com peso e medida e principalmente, com FACTOS!

Ninguém esta a meter ninguém na rua.

Quem esta a trabalhar, como em qualquer país de este mundo, para se viver num país, tem que se estar a trabalhar, ou seja, ter um visto de emprego, para que o país em si saiba quem entra, quem sai e quem está a trabalhar. Simples.

Em vários países ricos no mundo, com melhor nível de qualidade de vida e melhores empregos, só vai trabalhar quem tiver qualificações ou emprego para aplicar um visto de residência, tal como a Suíça ou os Emirados, ou mesmo nos Estados Unidos.

Não me interpretem mal, eu, aliás vivo na Inglaterra há anos (bota anos nisso) e eu própria estou dividida em relação ao Brexit!

Eu acredito na Democracia e no poder do voto e da igualdade. E meus caros: o povo elegeu o Brexit. Se voltarem atrás, deixa de ser uma democracia certo? Faz parecer que o voto das pessoas pode ser perfeitamente vetado e eleger outra coisa sem ser o que o povo votou, e passa a ser ditadura. E se isso acontecer (não tenham esperanças), se isso acontecer, então o povo vai deixar de ter confiança no governo (ou qualquer governo que venha a seguir) e se desacreditam o voto do povo uma vez, quem diz que em outras votações não o farão de novo? E poderá ser para outro tipo de coisas. Chama-se Democracia por alguma coisa.

 

O que mudou com o Brexit 

Mudou muita coisa.

O primeiro exemplo é definitivamente o aumento constante dos bens de primeira necessidade: ir ao supermercado passou a ser mais caro. Antigamente com 50 libras eu comprava as compras para 2 a 3 semanas, hoje em dia dá para 1 semana e muitas vezes sem peixe ou azeite. O facto de as fronteiras e trocas comerciais terem agora uma taxa maior, faz com que tudo subisse de preço.

A maneira das pessoas pensarem. O inglês é um povo relaxado, muito na sua. Ninguém quer saber se estas vestidos assim ou se é gordo ou magro, se tens o cabelo rosa ou as unhas mal arranjadas. Ninguém julga ninguém. Isso o português poderia aprender com eles que a inveja é muito feia e que a vida dos outros não é chamada para o centro das fofoquices! Mas o Brexit libertou em algumas pessoas a xenofobia. A mim nunca me aconteceu, nunca ouvi nada nem ninguém nunca me faltou ao respeito a mim ou a minha família, mas sei de casos que sim. Na rua ou no atendimento.

O nível de segurança piorou. Noticias que não chegam a Portugal sobre cá, são exatamente os esfaqueamentos. Diariamente morrem pessoas, normalmente adolescentes, mas que agora se estendeu a mulheres e crianças nas escolas. A polícia deixou de ter poder para agir, e quando age, cai-lhes tudo em cima. As casas são assaltadas mais facilmente, e sinceramente eu não me sinto segura na rua. Embora viva num bairro bom, não me sinto segura em passear com a minha família em determinados sítios e a determinadas horas. E para quem veio da América do Sul, isto não é para mim.

O olhar por cima do ombro. Como é óbvio, todas estas coisas e notícias, leva a que olhemos por cima do ombro CONSTANTEMENTE! Se há uma comitiva na rua ou se vejo 2 carros da polícia com as sirenes ligadas, ou se vejo alguém estranho ao pe da escola do meu filho, ou da minha casa, a minha tendência é refugiar-me em casa.

Estas sim São as consequências do Brexit!

Ninguém me vai por na rua (eu e a minha família trabalhamos, descontamos para o estado, pagamos as nossas contas), vivemos relativamente bem, e foi para isso que viemos, para evoluirmos. Mas como eu não gosto de me estancar, de parar, se não há evolução, começa a não ser um sítio para mim e provavelmente necessito de me mudar.

 

O Estado Português

Estando a falar com várias pessoas do Estado e com o Secretário dos Negócios Estrangeiros (agradeço email desde já!), o governo promulgou um plano de ajuda para o Brexit (assim como existe um plano para a minha adorada Venezuela) neste fim de Março, um programa chamado Programa Regressar.

Ainda não está em ação, mas podem ler um pouco mais neste link do Programa Regressar (irei fazendo update assim que souber de mais neste post) e existirão ajudas neste sentido aos emigrantes portugueses que queiram voltar a Portugal por causa do Brexit:

  • Ajuda no IRS durante 5 anos 
  • Ajuda no carro. Se tiver um veículo inglês ou com matrícula inglesa, desde que o carro esteja em seu nome durante 1 ano, poderá o português trazer 1 carro por pessoa e legalizar em Portugal por um preço mais baixo. Nesta página esta toda a descrição do que necessita e de que documentos, e quanto é: VEICULOS 
  • Cursos: Relativamente aos cursos que fez na Inglaterra é importante ver junto das entidades formadoras se a certificação é reconhecida ao nível Europeu. Se for, não há qualquer tipo de problema. Caso os cursos não sejam reconhecidos poderá ter que iniciar um processo de equivalências em Portugal.
  • Relativamente aos seus descontos, caso tenha direito a receber subsídio de desemprego na Inglaterra, pode transferi-lo para Portugal, para tal tem que solicitar o Documento Portátil U1 (equivalente E 301) no serviço de emprego ou num serviço equiparado à segurança social. O formulário U1 atesta os períodos de seguro e de emprego ou de atividade por conta própria, cumpridos noutro país da EU (incluindo a Suíça), que serão tidos em conta para efeitos de atribuição de prestações de desemprego.

  • Ajuda no regresso a Portugal (falar com o seu Consulado português), cada pessoa é intitulada a 1 bilhete de avião ou outra via, de regresso a Portugal, gratuitamente. Mas para isso precisam de falar com o vosso Consulado (boa sorte, porque os consulados portugueses, principalmente o de Manchester, são uma vergonha).

  • Ajuda em trazer os pertences para Portugal. Sei que vai haver uma ajuda para trazerem os objetos pessoais e recheios das casas, mas não tenho mais informações sobre isto.

  • Condições especiais para criação de empregos e compra de casa (sei que vai haver, mas não tenho mais informações).

Assim que houver mais novidade eu vou editando este post e deixar tudo online para a vossa ajuda.

 

Pessoalmente devo muito a este país.

Cresci enquanto pessoa, criei família, laços de amizade, tem uma paisagem belíssima, o estar é pacifico, o chamado chill-out e a diferença para a cultura portuguesa é muito grande.

É um povo que depois de ser o maior aliado no mundo nas guerras, preserva a sua história ferozmente e passa esses conhecimentos de geração em geração, são orgulhosos de serem Ingleses, Escoceses, Galeses ou Irlandeses; mas uma votação veio mexer e (neste momento) piorar a evolução deste país. É um povo positivo, é um povo que estando de rastos, pegam neles e puxam para cima e reconstroem em vez de estarem a chorar eternamente. São lutadores!

Não digo nem prevejo que seja bom ou mau, só o tempo e os governantes o dirão, mas tenho pena de o que começou por um simples pensamento, veio alterar a vida de muita gente, de várias nacionalidades, quando a realidade é que eles deveriam arrumar a sua casa primeiro, com os próprios ingleses e com as famílias inglesas que nunca trabalharam e obtêm demasiado do Estado Inglês à custa de quem veio para este país trabalhar.

E aí reside a minha mágoa com eles, mas Portugal também sofre do mesmo, pessoas que nunca trabalharam na vida e recebem do Estado através de falcatruas. Mas isso é outro tema para depois.

Espero que este post tenha aberto alguns olhos e que ajude alguém que esteja numa situação menos fácil.

Está no Reino Unido? O que mudou na sua vida? Por favor, deixe um cometário a contar a sua história ou se tem dúvidas sobre o Brexit.

 

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply